Neste momento

Ele é o grande amor da sua vida. Vocês se encontram após o trabalho e tomam um chope de 530 ML sem se preocupar em voltar pra casa, porque ninguém te espera em casa. Ninguém além das pilhas de roupas sujas, louças sujas, tarefas agendadas e pendentes, nada além de uma vida organizada ao redor de uma pessoa, uma única pessoa, você. E como se essas coisas, e essa casa, e você não existisse, vocês chegam na metade do copo juntos intercalando histórias, e você observa que nestas histórias há algo mais que faz prender a sua atenção, algo que brota de uma história pra outra, da dele pra sua. E você o observa… você o observa segurar o copo, você o observa tirar o celular do bolso e responder alguma mensagem que você não faz ideia do conteúdo, embora saiba que ela diz algo do tipo que você não é tão importante pra ele quanto ele é importante pra você, afinal você não pegaria seu celular nem se ele explodisse de vibrar no seu bolso, mas a mensagem não diz isso.. não em letras. E você apenas decide parar de pensar nisso, apenas parar. Mas aí já estão tomando um outro chope, e dessa vez ele pediu um menor. O que é uma pena pois a cerveja estava tão gostosa, a conversa também estava tão gostosa, o tempo que passam juntos se torna um banquete e você começa a lamentar o copo se esvaziando ao mesmo tempo que o devora com os olhos. Não tem problema, vocês beberam demais e mesmo que dois copos não seja demais, embora pra você seja, não há ninguém em casa esperando. No final dos dois chopes já não há tantos assuntos como no começo e o silêncio começa a intercalar a conversa. As palavras diminuem conforme os pensamentos aumentam. E você tem alguns pensamento sujos, confessa. Não tem problema. Nesse momento, brota um monte de coisas dentro de você que você prefere desviar o olhar por várias vezes, e as vezes se deixa encontrar no olhar dele, porque você não tem medo vai entender. Você só quer saber o que é bom ou o que é ruim, e não tem ninguém em casa pra te ajudar. Ninguém pode te culpar por isso.
Hoje talvez ele te companhe. Talvez ele te abandone. Das duas opções nenhuma será a primeira, mas você prefere observar o momento. Porque nesse lugar chamado momento é o único lugar onde a vida acontece.

Anúncios

Deixe aqui um comentário

Preencha os seus detalhes abaixo ou clique num ícone para iniciar sessão:

Logótipo da WordPress.com

Está a comentar usando a sua conta WordPress.com Terminar Sessão / Alterar )

Imagem do Twitter

Está a comentar usando a sua conta Twitter Terminar Sessão / Alterar )

Facebook photo

Está a comentar usando a sua conta Facebook Terminar Sessão / Alterar )

Google+ photo

Está a comentar usando a sua conta Google+ Terminar Sessão / Alterar )

Connecting to %s